domingo, 20 de novembro de 2011

Vaqueiro herói

Num dia de vaquejada
Nas quebradas do sertão
Um cavalo preto encosta
Na porteira do mourão
Aguardando o boi Bordado
Na festa de apartação

Abre logo essa cancela
Que o ‘pordo’ quer correr
Sou vaqueiro e minha sina
É fazer o boi valer
E o Bordado vai cair
Quem quiser, pague pra ver

Assim pensava o vaqueiro
O melhor da região
Um moleque bom de gado
Montado num campeão
Aboiando pra donzela
Que ganhou seu coração

“A moça pra ser bonita
Tem que ter pele morena
A cintura bem fininha
E a boca bem pequena
Dessas que a morte mata
E a gente chora com pena”

O vaqueiro herói desfila
Ele, o cavalo e a rês
O boi não volta ao curral
Se lá morrer um dos três
Pra cumprir o seu destino
Sai correndo de uma vez

Êh! Valeu vaqueiro
O seu nome e a sua fama
Se espalhou pelo sertão


Êh! Valeu vaqueiro
A lembrança e a saudade
Dilacera o coração...


Letra da música: Vaqueiro Herói, de nossa autoria, em parceria com o compositor e músico, Poeta Miguel Nascimento.

Pedro Torres
Recife, 2000.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...