sábado, 22 de outubro de 2011

Um dia inteiro

Se de manhã, a poesia te aquece
E um brilho de sol te ilumina
À tardinha, sob ares de neblina,
Achega-se um frio, e te anoitece!

E amanheces sem sequer vontade
De mirar à vastidão da campina.
Mas eis que uma lágrima cristalina
Vem e alaga a tua vista de saudade...

Aí, abate-se o dia, o sol se esconde,
Perdem-se os porquês, não sabes aonde,
E todos dormem...

Rasga as tuas palavras!
Espreme essa ferida!
Liberta dos teus poemas
Um exasperar-se de vida!

Pedro Torres

2 comentários:

  1. Parabéns pelo inspirador blog.
    Visite o meu quando puder: www.myzentado.com
    abraços.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Poeta!

    Seja sempre muito bem vindo, e parabéns pelo blog!

    Pedro Torres

    ResponderExcluir

Direito à Réplica Poética...