domingo, 23 de outubro de 2011

Biu de Crisanto, Saudade em terra alheia

A saudade que mais maltrata a gente
Quando a gente se acha em terra alheia
É ouvir um trovão para o nascente,
Numa tarde de Março,  às 4 e meia.


Poeta Biu de Crisanto
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...