sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Pranto

Ninguém pergunta da minha dor
Mas, pra que preciso que alguém o faça.
Se somente eu chorarei o meu pranto
Uma a uma as minhas lágrimas...

Não! Não dou a ninguém, pois,
Quem não me fez Feliz antes.
Fico quieto no meu canto
E cozo todo meu amargor.

Delicio-me sozinho com minha dor
Compraz-me a companhia do silêncio
Porque a tormenta atormenta-me melhor
E de nada mais poderei saber do amor

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...