sexta-feira, 9 de abril de 2010

Passarinha

Voou pra bem distante
Meu pássaro canário.
Foi visitar outro cenário
Voar por outra vazante..

Eras tudo... – Oh, passarada vil!
Levaste embora meu amor
E toda chuvarada de abril

O meu sentir mais dolorido
Do meu jardim colorido
A sua mais bonita flor...

Mês que se fez desgosto
Para o fim deste agosto
Em meu poema sutil..

Sol, beirando à já posto
À argúcia do teu rosto
Deixar o corpo febril!

Sentir o frescor do mundo
Vindo da umidade da brisa
Nativa do riacho profundo
Da paz que a gente precisa.


Mas, se uma parte de saudade
Doer sem precisar a dimensão
Do que só um exato silêncio diz...

Lembra-te de nós, infinitamente!
Volta, e chega de tanta saudade!
Dá-me de beber da tua felicidade.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...