quarta-feira, 21 de abril de 2010

Com Tua Imagem na Memória

Meu quarto está gelado de Saudade!
As cortinas imóveis... sobre tudo
Desce a tristeza... Meu canário, mudo,
Já não vê quando chega a claridade!

Que silêncio mortal! Nem range a porta...
A sala é um ermo... as horas estão frias...
O piano é um cemitério de harmonias
Dormindo na mudez da noite morta!
*

Chego à janela: só tristeza existe...
O jardim não tem mais aquele encanto...
O cata-vento que oscilava tanto,
Já deixou de oscilar... tudo está triste!

Fumo um cigarro... em sonhos me embeveço...
Lembro uma data.. em cismas me dilato...
Leio uns versos, revejo o teu retrato...
E quero te esquecer, mas não te esqueço!

A vontade de ver-te me tortura!
Não posso mais... cansei na longa espera!
Vem, meu amor! Acorda a Primavera!
Tira minh’alma desta noite escura!

Poeta Rogaciano Leite, em Carne e Alma.

Pedro Torres
* Ver Comentário

Um comentário:

  1. Quando li o poema 'Com Tua Imagem na Memória' do poeta Rogaciano Leite, intuí que parte do poema fosse um mote 'assassinado' pelo mestre teixerense, em um momento único de revelação poética.

    Mostrei ao Poeta Maviael Melo o trecho do poema que diz:

    "O piano é um cemitério de harmonias
    Dormindo na mudez da noite morta!"
    Rogaciano Leite

    Não disse a ele que era um mote, mas não deu tempo, o poeta intui na mesma direção e sapecou o verso:

    Na mistura das raças surgem sons
    Entre harmônicos arpejos encantados
    Vejo pretos e brancos misturados
    Entre dedos fluindo novos tons
    Digitais entre teclas mostram dons
    Que ao peito nos toca e nos conforta
    Em silencio a noite se transporta
    Pelas brisas funéreas, chamam os dias
    "O piano é um cemitério de harmonias
    Dormindo na mudez da noite morta!"

    Poeta maviael Melo, Salve!

    ResponderExcluir

Direito à Réplica Poética...