quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Presença do Perfume

Quando a mão com sutil delicadeza
Solta pingos de água num jardim
Cada pétala se abre dum jasmim
Num sorriso com dúlcida pureza.
Uma essência se exala com leveza
Dando beijos na mão com seu olor
Perfumando com plácido fulgor
Numa oferta divina do seu lume
Sempre fica a presença do perfume
Entre os dedos da mão que rega a flor.


Cada dedo oferece os orvalhos
Derramados do céu da sua mão
E a flor faz surgir do coração
O presente divino dos seus galhos.
Colibris fazem vôos com atalhos
Numa pressa coberta de temor
Como lindos parceiros do amor
Beijam flores morrendo de ciúme
Sempre fica a presença do perfume
Entre os dedos da mão que rega a flor.


A presença dos pingos cristalinos
Derramados da mão como presente
Faz a flor se abrir toda contente
Igualmente o sorriso dos meninos.
Do seu corpo surgem olores finos
Com mil beijos dum grande sedutor
Infiltrando-se nos dedos com ardor
Sem ouvir beija-flores com queixume
Sempre fica a presença do perfume
Entre os dedos da mão que rega a flor.


Eu comparo a grandeza da verdade
Praticada através da ação humana
Quando a mão da virtude soberana
Joga os pingos divinos da bondade.
Sobre o campo da vida o amor invade
Com essências tocando o regador
Perfumando o seu gesto doador,
Onde Deus no seu peito logo assume
“Sempre fica a presença do perfume
Entre os dedos da mão que rega a flor”.


Poeta Gilmar Leite no mote do Poeta Xico Borges

Nota: "Praticada através da ação humana"
O vocábulo "através", no poema, significando por meio de, por via de, não encontra respaldo gramatical ou literário para sua sustentação. Através significa: Por dentro de, por entre. Trata-se de um advérbio.
Mas, como na poesia pode tudo, inclusive o nada, tá valendo, como diz o poeta Miguel Marcondes.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...