sábado, 12 de setembro de 2009

'O nordeste precisa urgentemente, De trabalho, justiça e educação.'

O nordeste perdeu milhões de filhos
Desabaram sem pátria e sem família
Pra o Rio, pra São Paulo, pra Brasília
Como eternos ciganos andarilhos
Muitos deles, paupérrimos, maltrapilhos
E se voltarem para cá padecerão
Que o nordeste inda tem fome e verão
Da maneira como tinha antigamente
'O nordeste precisa urgentemente,
De trabalho, justiça e educação'.

Quando um dia houver justiça cá
Que seus frutos para todos derem suco
Nunca mais ninguém deixa Pernambuco
Paraíba, Rio Grande, ou Ceará...
Nunca mais, nordestino vai pra lá.
Trabalhar sendo escravo de um patrão
Que não trata operário como gente
'O nordeste precisa urgentemente,
De trabalho, justiça e educação.'

Pedro Tunú

Modifiquei do mote original: 'O nordeste precisa urgentemente, de trabalho, justiça, terra e pão. '

Acredito, por exemplificar, que educação nos moldes idealizados pelo Pedagogo e grande Pensador Social Paulo Freire, se implementadas para por em prática a liberdade de pensamento traz para nossa gente o poder de um compreender-se cidadão e exigir direitos ainda enquanto há chuvas no nordeste e as águas correm nos rios e há fartura, pois é durante a estiagem, certa e periódica, que políticos vem com carros pipas de 'salvadores da pátria', com dinheiro público ou privado, abastecer cisternas, entre outros favores e dali angariar votos e manter a 'Indústria da Seca'...

Na cidade citada recentemente em reportagem da Rede Globo, dia 9 de março de 2009, em comemoração aos seus 100 anos, minha cidade natal, São José do Egito, berço imortal da poesia, que é também um centro cultural e comercial de grande importância na microrregião do Pajeú e Cariri há um grande vácuo no que se refere a educação superior e cursos técnicos.

Seria importantíssimo a implementação de uma universidade ou curso de extensão técnica para prover aos milhares de estudantes secundaristas da região meios de obter um ofício sem a necessidade de se deslocar para grandes centros urbanos, por ser uma região pobre e impossibilitar milhares de estudantes de ter uma profissão e prosseguir seus estudos por falta de condições econômicas, considerando que a maior parte da população desses municípios são filhos de agricultores ou pequenos comerciantes.

Uns poucos, com muita luta, conseguem estudo superior e os que retornam trazem grandes benefícios às suas cidades, conhecimento. Voltam dentistas, professores qualificados, agrônomos, veterinários, advogados, engenheiros, médicos, apenas para citar algumas profissões.

As prefeituras do sertão nordestino, em sua maioria, com algumas raríssimas exceções, dependem quase que exclusivamente do FPM - Fundo de Participação Municipal e o Ensino Superior por ser uma espécie de obrigação direta do Governo Federal, isenta os prefeitos de qualquer responsabilidade no sentido de prover ajuda aos estudantes que terminam o estudo secundário e pretendem obter um curso profissionalizante ou superior e mesmo que quisessem, teriam muitas barreiras jurídicas a romper junto aos Tribunais de Contas e ainda não atenderiam a todos por não ter recursos para atender a demanda.

A solução é viável e urgente aos olhos de muitos empresários a instalação de um centro de educação técnica e ensino superior na cidade de São José do Egito. Há local, cursos já autorizados pelo MEC para funcionar, corpo docente suficiente para formar uma faculdade e demanda, falta um pouco de bom senso e um grito contra o descaso.

Uma palavra dita.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...