terça-feira, 15 de setembro de 2009

Covardia?!

Hoje cheguei ao inferno e até
Julguei que tudo foi pro inverno
Certo ou errado, não importa
Deixei o amor invadir a porta
Expus minhas chagas em vão
Deixei aberto o meu coração

Vi colocarem sal em minha ferida
E pela janela ser destruída a vida
Que acreditara um dia ter vivido
Não vale a pena ter tudo sentido
Saí da luta de amores combalido

Explorando com um cão vadio
Sentir de novo o maldito vazio
Não suportaria caminhar o fio
Da navalha afiada do caminho

Que o verso encurta, esvai-se
Areia movediça que se move
Ao poeta de coração pedrado
Do amor que nunca quebrara...

Uma estação restava ainda a compor
Faltava aquele do inverno, meu amor
Onde seria fartura, criatura, das flores
Eram tudo frutos doces, ora quebrados.
Covardia, onde?!

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...