sexta-feira, 3 de julho de 2009

Lamento Contra um 12 de Outubro

Pelas praças e becos da cidade
Prolifera uma raça desnutrida
Que sem rumo, sem vez e excluída
Sobrevive a tamanha crueldade
Se lhes sobra viver em liberdade
Liberdade sem pão não vale nada
De barriga vazia e cara inchada
Vão cheirando um restinho de esperança
Pra que festa no dia da criança
Num País de criança abandonada?

Leonam Menezes

2 comentários:

  1. Manoel Filó ,
    BELOS VERSOS LEIO DESTE AUTOR EM SEU BLOG, FELIZ POSTAGEM,

    EFIGÊNIA COUTINHO
    ESCRITORA

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Efigênia,

    Sabes o quanto é precisa a tua opinão para mim.

    Muitas poesias para ti.

    Pedro Torres

    ResponderExcluir

Direito à Réplica Poética...