terça-feira, 28 de julho de 2009

Doces Lembranças

Mando de volta as cartas que enviaste,
Me declarando tão profundo amor,
E te pergunto por que é que deixaste,
O peito de amas sofrer tanta dor.

Ah! Lindas noites as quais me amaste,
E em beijaste, tal qual beija-flor,
Noites ardentes em que deliraste,
E trouxeste à tona um sonho multicor,

Hoje meu peito triste, amargurado,
Transformou todo sonho do passado,
Neste mundo cinzento em meu presente.

Para mim, restaram só doces lembranças,
Quando agarrava tuas longas tranças,
E tu roçavas em meu corpo quente.

Ciro Menezes
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...