sexta-feira, 3 de julho de 2009

Ciro Menezes

Dizer de Ciro Menezes, poeta sutil, não é tão simples quanto falar de suas poesias.

Sempre recheadas do melhor caldo do descendir futuros sonhos alheios, e sentimentos. Um dom, que Deus deu a este gênio da cultura brasileira contemporânea.


Clímax

São dois corpos diferentes
Em busca de um só caminho,
E os prazeres são mais quentes
Nos aconchegos do ninho.

Entre beijos inocentes,
Começam trocar carinho,
E os beijos tornam-se ardentes
Ao se despirem do linho.

Com olhares mais precisos,
Numa troca de sorrisos,
São os dois entrelaçados.

E os corpos em movimento,
Eternizando o momento
Do casal de namorados

Linda!

Visão Nefasta N/D

Que coisa triste sinto nesse instante,
Vendo a meu lado, quase inconsciente,
Uma criança se sente distante,
Mas o seu corpo, sei que está presente.

Sociedade bruta, ignorante,
Visão tão fria, tão inconsequente,
Governo inerte esse que não garante,
O alimento para o inocente.

Mas como é triste essa sociedade,
Como é covarde essa realidade
Que nos massacra sem ter compaixão...

Vamos gritar ao mundo: agora basta,
E suprimir essa visão nefasta,
Unindo todos num só coração.

Bravíssimo!

Pedro Torres

Para votar nas poesias de Ciro Menezes, visite os seguintes endereços

Clîmax
http://www.talentos.wiki.br/poesia.php?id_poesia=1471

Visão Nefasta
http://www.talentos.wiki.br/poesia.php?id_poesia=1470
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...