quarta-feira, 8 de julho de 2009

Birra

Minha cabeça parece uma caixa cheia de pedra.
Estou atolada de pensamentos de todas as espécies e formas.
Isso de ter que ser educada e feliz a todo tempo não cola mais.
Tenho machucado as pessoas
E não me preocupo nem um pouco à respeito.
Não quero mais remediar as babaquices que faço.
Muitos me machucam
E falam coisas horríveis de mim,
E não estão preocupados se me sinto bem, ou mal com isso tudo.
Não acredito em pessoas que vivem a sorrir,
Quem assim se comporta mente, mais quem não mente?
O que eu faço com toda essa angústia e medo?
Mais seria mesmo medo? Medo do que então?
Mais a angústia é verdadeira e pertinente,
Tão de um jeito que começo a me acostumar com ela, seria bom?
Não sei... Não sei de nada, nada que remeta à realidade.
Tenho que organizar minhas idéias
Tenho que por pra fora essa dor.
Amor é pra ser sentido e não só idealizado.
Como posso cultivar se tento ódio no meu coração?
Onde foi parar aquela menina que fui? FUI...
Tudo um dia se vai.
Qualquer sentimento bom que podia existir por alguém se transformou em rancor.
Não me arrependo, mas se pudesse voltar atrás faria tudo diferente.
Não só isso, mas todos os momentos de erro.
Não sei onde está o perdão.
Preciso de carinho e cuidado.
A solidão corrói os meus dias e horas
Isso me cansa e ilude.
Preciso de uma chuva de paixão.

Quero cerveja!

Bruna Nunes
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...