quinta-feira, 11 de junho de 2009

Luar no Sertão e tu distante...

Eu sempre procuro
Entender a motivação
Para fazer tuas
As minhas lágrimas
E seus
Os meus sorrisos mais alegres
Dos meus dias mais inteiros
Momentos mais verdadeiros.

Porque às vezes, poeta
Um dia perfeito
É só...
Um não estar só!
É estar contigo.

Tu sabes
O que cabe no coração
De um poeta

Então,
Porque do espanto
Com tão medíocres palavras?
Por acaso visse a covardia de lua de ontem?
E não estavas lá...
Tá difícil, poeta...

E o problema da poesia
Nem é a vírgula e nem virgulem
É a falta da rima,
Sob o arco-íris noturno.
Um ausentar-se precipitado,
De mim.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...