terça-feira, 28 de abril de 2009

1 poema pro tempo

Eu sou um poeta tempo, só.
Mas não sou um poeta só.

Nem sou só um poeta.
Nem sou só um tempo, poeta.

Sou eterno contradizer-me !
E tu, quem te faz companhia?

E quando formos embora...
Ficarás, ou não, à revelia?

És eterno?
Sois é só um tempo em um tempo só.

Não és a mistura azeda de sacrifícios...
Instantâneos mortais como nós,
Como eu, poeta.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...